Revista Contra-Relógio
// Brasileiros lá fora //

Quem tem medo da Maratona de Boston?

Edição 189 - JUNHO 2009 - DENISE AMARAL

Devo confessar que tinha muito medo da Maratona de Boston. Afinal, como não temer as inúmeras ladeiras e a famosa Heart Break Hill (Ladeira do Quebra Coração), que no km 32 desafia os bravos e corajosos maratonistas. E só em pensar em correr ao lado de tantos corredores rápidos e experientes já me deixava assustada. Será que eu seria a última? Será que ainda haveria público quando eu passasse?
Esta foi a minha 69ª maratona e estava nervosa como há muito não ficava. E devo confessar, ainda, que embora esta prova fizesse parte dos meus sonhos de corredora, como todos nós temos, nunca havia tomado a devida coragem.
Como a Maratona de Boston integra as 5 Majors Marathons, junto com Nova York, Chicago, Berlin e Londres, muitos passaram a considerar a participação nesta corrida com o objetivo de completar as Majors. Isto deu à Maratona de Boston um ar ainda mais internacional, embora não se veja nela os grandes grupos de corredores estrangeiros que se encontra facilmente na Maratona de Nova York. Esta é uma prova tipicamente americana e motivo de muita honra para os corredores locais, que buscam qualificação para poderem se inscrever.
Para possibilitar que mais corredores participem deste maravilhoso evento, passaram a ser disponibilizadas algumas poucas vagas para não qualificados. Para se qualificar, você deve completar uma maratona, nos últimos 24 meses, dentro de tempos estabelecidos, que não são nenhuma moleza (veja quadro).
Somente os corredores internacionais podem "comprar" a inscrição através de agências de viagens especializadas em grupos de corrida. Mas, ninguém precisa saber disto, né? Pois, certamente, quando você diz que já correu a Maratona de Boston, todos lhe olham com mais respeito.
Este ano tivemos 50 corajosos brasileiros, sendo 17 destes não qualificados, como eu. (A CR publicou a listagem na edição passada)


12 emais de informações
A maratona já lhe conquista enquanto você está no Brasil. Tive o cuidado de contar: foram enviados 12 e-mails com instruções sobre a prova, dicas escritas por renomados veteranos, mostra dos artigos promocionais que seriam vendidos na Feira da Maratona, tópicos das palestras e outros. O cartão de confirmação de prova foi enviado com bastante antecedência (coisa que não vem acontecendo regularmente nas outras provas internacionais devido ao gigantismo destas), bem como o livreto com instruções mais do que completas sobre todos os eventos.
A cidade respira a maratona durante os dias do evento, cercada daqueles corredores com "cara e jeito" de corredor. Logo você se esquece que nem é qualificado e passa a se considerar um entre os melhores do mundo! Já que todos lhe olham com tanto respeito, por que não aproveitar esta deliciosa sensação?
A entrega dos kits é outro show à parte. Diferentemente de Nova York, que tem vários voluntários velhinhos, em Boston todos tinham cara de maratonista e lhe tratavam com muita honra, pois certamente sabiam o quanto era difícil estar lá. Tinha até um local para experimentar a camiseta da prova para você decidir por qual tamanho optar. A Feira da Maratona é completa. Afinal, todos os expositores querem estar lá. Mas a crise realmente já é sentida. Poucos brindes, para a tristeza dos brasileiros...
Este ano os organizadores instituíram o Fun Run, que acontece no dia anterior à maratona, como uma prova oficial, com direito a camiseta e medalha. Quem participou recebeu uma bonita medalha indicando "5k Inaugural Race'". Ao divulgar esta prova, eles indicavam: Traga seus amigos e parentes para participarem e terem a sensação de cruzarem a linha de chegada da Maratona de Boston. Na chegada, um eficiente sistema de entrega de medalhas e um farto lanche já anunciava a beleza de organização que iríamos encontrar no dia seguinte.

Publicidade


Jantar com Bill Rogers
Ao chegar no City Hall (a Câmara Municipal de lá) para o jantar de massas, mais uma extraordinária surpresa: Bill Rogers estava servindo os corredores! O mais famoso e querido maratonista americano, detentor do recorde americano por anos, vencedor 4 vezes da Maratona de Boston e também 4 em Nova York, além de muitas outras como a Maratona do Rio em 1981 e 1982, estava lá servindo os corredores. Pausa para muita tietagem de minha parte. Bill Rogers foi extremamente gentil tirando fotos com os corredores brasileiros e ao dizer que tinha belas recordações do Rio de Janeiro. Como carioca, vibrei! Detalhe: Bill Rogers, que completará 62 anos, concluiu a Maratona de Boston 2009 em 4:06:49 (na minha frente, obviamente).
Outro detalhe do jantar de massas: no meio daquela multidão demos a sorte de encontrar uma mesa de 12 lugares com apenas 1 corredor sentado. Parecia um oásis ou mais um presente especial para o grupo de brasileiros. Mas, logo percebemos que tamanha sorte tinha explicação: localizada entre um vão do prédio, quase nos congelou devido à tremenda corrente de ar. Tudo bem, tínhamos mesmo que ir cedo para o hotel e descansar para o desafio no dia seguinte. Afinal, nosso alegre grupo de corredores não-qualificados estava tão assustado quanto eu!
Chegado o temido dia, pegamos o ônibus da organização da prova para ir até Hopkinton, município de Massachussetts. O animado bate-papo no ônibus não impediu que eu percebesse o constante sobe e desce... Assustador. Deviam ter nos levado de helicóptero...
Na área de concentração, o locutor entrevistava vários corredores que diziam orgulhosos já terem participado 3, 5, 8 vezes... Aí pensava para tentar me acalmar: se fosse tão pavoroso, estes loucos não teriam voltado tantas vezes. Mas, tem louco para tudo, né?
Duas largadas, com 30 minutos de diferença, dividia os corredores em excelentes e muito bons. E lá estava eu apavorada. Só de olhar aqueles corredores bem magrinhos me assustava.


Subindo e descendo
Dada a largada, começamos a correr por uma estradinha cercada de simpáticas casas sem muro, com seus moradores na frente, incentivando os corredores. Em alguns trechos da prova o público é enorme e você se pergunta de onde saiu tanta gente no meio daquela estradinha. Tinha até um divertido grupo de meninas oferecendo "beijo grátis"! E, ao verem a minha camiseta do Brasil, o público gritava e incentivava ainda mais. Alguns até diziam: obrigada Brasil por ter vindo! Emocionante.
O sobe e desce do percurso é constante, mas a animada audiência não nos deixa perceber. Eles oferecem tanta coisa no caminho, talvez com o objetivo de nos distrair. Tinha até um senhor oferecendo analgésico, além dos tradicionais lenços de papel, papel higiênico, laranjas, bananas e chocolates.
Logo se percebe que o percurso tem mais descidas do que subidas, o que faz com que muitos "quebrem" após o km 35 devido a constante mudança de ritmo. Boston é uma prova que todos devem esperar concluir com um tempo superior aos seus recordes pessoais. E, como sabia que iria sofrer, e muito, já fui preparada para encontrar o pior. Mas, até agora não consigo me lembrar, afinal, onde estava a temida Heart Break Hill.
A Maratona de Boston tem um percurso apenas um pouco mais difícil que as Maratonas de Curitiba e São Paulo. Acho mesmo que os poucos corredores brasileiros que já tiveram a honra de encarar este desafio perpetuam esta lenda para que o número de participantes continue pequeno e exclusivo. Coisa de corredor...
Suas coxas vão doer e muito após a prova e ainda nos dias seguintes. Com certeza o percurso é desafiador, mas não é tão assustador assim como dizem. Você pode e deve ter este prazer e honra. E falar para todos: eu corri a Maratona de Boston. Depois, observe os olhares de admiração, mesmo que você não seja um qualificado - quem precisa saber?

Denise Amaral é assinante do Rio de Janeiro


Os tempos de qualificação para Boston
Idade Homens Mulheres
18/34 3h10 3h30
35/39 3h15 3h35
40/44 3h20 3h50
45/49 3h30 4h00
50/54 3h35 4h05
55/59 3h45 4h15
60/64 4h00 4h30
65/69 4h15 4h45
70/74 4h30 5h00
75/79 4h45 5h15
80 + 5h00 5h30
Obs.: Idade no dia da prova


Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados